As Olimpíadas e seu efeito nos atletas canadenses de patinação artística no gelo

As Olimpíadas e seu efeito nos atletas canadenses de patinação artística no gelo
Fonte: chegg

Com o encerramento das Olimpíadas e a estreia do filme “Eu, Tonya”, não é de se espantar que a patinação no gelo esteja tão em alta. “Eu, Tonya” conta a história de Tonya Harding e Nancy Kerrigan, duas patinadoras americanas que lutavam por uma posição de destaque e pela chance de se tornar a menina de ouro americana. A carreira de Kerrigan teve um fim repentino quando o marido de Harding a golpeou no joelho com um bastão para garantir o lugar da esposa na equipe. Desde então, a vida de Harding tem sido repleta de controvérsias.

Como as Olimpíadas atuais e as anteriores influenciaram a história do Canadá na

patinação artística no gelo e sua cultura? Até onde sabemos, não há nada parecido com a história de Harding por lá, mas vamos dar uma olhada.

O ouro do Canadá

O Canadá coleciona 25 medalhas de patinação artística desde sua estreia nas Olimpíadas de Inverno de 1924. Neste ano, em Pyeong Chang, eles conquistaram o ouro no evento de patinação por equipes.

Historicamente, o Canadá sempre se destacou na arena de patinação no gelo, e, em 1930, Cecil Smith se tornou a primeira mulher a conquistar o ouro em um evento internacional de patinação. Seguido por outro ouro em 1948, de Barbara Scott e outros dois em equipes, um em 1960 e outro em 2002. A patinação artística no gelo é dos esportes nacionais mais tradicionais.

O Canadá esteve na vanguarda do desenvolvimento de rinques comerciais e o primeiro rinque coberto foi inaugurado na cidade de Quebec em 1952. E eles permaneceram líderes mundiais em tudo relacionado à patinação.

Os benefícios duradouros das Olimpíadas

A patinação no gelo ganha destaque no Canadá
Fonte: pixabay

Desde que o Canadá sediou sua primeira Olimpíada de Inverno em 1988, o crescimento da patinação no gelo canadense simplesmente explodiu. O esporte é tão popular quanto jogos de casino online, e tão emocionante quanto. Até então, a maioria dos atletas vinha de Vancouver, Ottawa e Toronto, pois lá estavam localizados os maiores centros de treinamento, mas os jogos de Calgary resultaram em grandes investimentos em construções para abrigar o evento e proporcionaram aos residentes locais acesso a instalações de treinamento de última geração.

Atualmente, os famosos treinadores canadenses concordam ao dizer que as Olimpíadas e as instalações construídas para abriga-las levaram muitos jovens a participar com perseverança de treinamentos para ter a chance de competir.

Os jogos também fizeram de Calgary, Vancouver e Whistler destinos conhecidos. A equipe de organização canadense planejou o evento tendo em mente os 5 – 10 anos seguintes após a realização dos jogos, encarando-os como um investimento de longo prazo. Então, apesar de um investimento inicial portentoso, o resultado foi um grande aumento no turismo no ano de 2010, que continuou gerando excelentes resultados nos anos de 2014, 2015 e 2016.

A cidade de Whistler agora sedia competições e eventos anuais de ski, que atraem grandes receitas para a cidade e os negócios locais. As Olimpíadas fizeram deles um nome respeitado no meio.

A patinação no gelo canadense hoje

Os Campeonatos Canadenses Anuais de Patinação no Gelo acontecem em Vancouver, e o Canadá manda suas equipes para o Campeonato Mundial e o Campeonato dos Quatro Continentes.

Este ano o Canadá conseguiu 11 classificações para sua poderosa equipe de 17 patinadores. Seu objetivo? Levar para casa mais três medalhas Olímpicas, repetindo o feito da última temporada. Mas não foi isso que aconteceu. Eles levaram quatro. A equipe rumo ao mundial é, sem dúvida, formidável. Porém, será necessário um esforço imenso para conseguir repetir suas conquistas Olímpicas.